• 20 de maio de 2022 02:13

61 Brasilia

Portal de Notícias de Brasília

Advertisement

A nova cara da política em Brasília

Mais produtividade, ritmo, transparência e ação. O mais novo a ocupar a cadeira máxima na Mesa Diretora, expoente do Distrito Federal impõe um novo ritmo na Câmara Legislativa.

Por: Natasha Dal Molin
Fotos: Nubia Paula e Arquivo Pessoal

Com 35 anos e vindo da experiência na iniciativa privada, o distrital Rafael Prudente assumiu a Presidência da Câmara Legislativa e logo mostrou a que veio: antigas práticas, desatualizadas e burocráticas da Casa, estão sendo substituídas. Além disso, tem feito um trabalho excelente no ritmo dos projetos, e apoiando o que é prioritário para a cidade.

Rafael Prudente nasceu em Brasília. “Meus pais tem a história parecida com as de muitos que formaram a cidade”, diz, filhos de pai de Goiânia e mãe de Recife, que se conheceram na cidade. O pai era Geólogo e mãe veio com o avô, que era servidor da Embrapa, e depois da Emater, e também da Câmara Legislativa.

Casado com Pollyana Vaz Prudente há 7 anos e pai de dois filhos, Rafael, 6 anos e Samuel, 4 anos, foi em Brasília que Rafael teve a oportunidade de estudar e de se formar em Administração de Empresas.

 

 

Desde cedo mostrou empatia por essa parte empresarial e de empregos, e soube aproveitar a chance na empresa familiar. Mas não foi para cargo alto, não, mas para o almoxarifado da empresa. Com o trabalho, ele começou a galgar espaços maiores. Foi convidado para atuar em outra empresa, uma multinacional na área de tratamentos de resíduos, na qual trabalhou por quatro anos.

 

Com a exponencial carreira profissional, foi convidado pelo MDB para se filiar, o que lhe deu muito orgulho e honra. Partido grande, que tem história, o qual elegeu seu pai também e no qual permaneceu, mesmo com mais chances em um partido menor. A filiação foi sem pretensões de uma eventual candidatura, mas com uma vontade política de participar das discussões que envolviam os problemas da cidade.

Quando foi convidado pelo partido a participar das eleições, em 2014, já conhecia os problemas da cidade: “Fiz um desenho do que precisava defender”, recorda. E trabalharam muito para que desse certo e chegassem com um bom resultado nas urnas. “Visitei todas as regiões administrativas e, para uma pessoa que ninguém conhecia, mas com muito trabalho, consegui chegar em nono lugar”, lembra, com orgulho.

E em 2018 ele foi novamente eleito, numa votação que teve renovação de mais de 70% nos quadros da Câmara Legislativa. A vitória, segundo ele, foi fruto da avaliação do eleitor. “Não sou eu que avalio, mas os eleitores, de quatro em quatro anos”, explica. E aponta uma receita de sucesso: defendendo geração de empregos, tendo posicionamentos firmes contra aumento de impostos, na defesa do setor produtivo e do emprego das pessoas. Além das pautas que todo político deve ter: educação, saúde, segurança e fiscalização.

Vitória seguida em três campanhas

Aguerrido, Rafael Prudente conta que enfrentou recentemente três campanhas: a eleição nas urnas, no projeto do governador Ibaneis Rocha e na campanha para eleição da Mesa Diretora, alcançada com uma maioria de uma forma inédita. Mais jovem da legislatura passada, sua pouca idade também foi questionada na hora de disputar a Presidência da Câmara Legislativa.

O mais novo parlamentar a presidir a Casa, ele encara as tantas conquistas em tão pouca idade como responsabilidade: “Tenho que dar a resposta com atos”, sentencia. Oriundo da experiência na iniciativa privada, o presidente se orgulha em ter conseguido impor um ritmo diferente do início das outras legislaturas: “Cada deputado conseguiu aprovar um projeto de lei”, diz, emendando que os parlamentares retornaram do recesso legislativo antes do prazo previsto, o que nunca tinha acontecido.

Na visão do deputado, a Câmara Legislativa precisava dar esse retorno para a sociedade. O retorno antecipado, segundo ele, se deu para que fossem apreciados dois projetos que a população não podia esperar: o projeto que criava o serviço voluntário da Polícia Civil, assim como é com a PM, o que permite ter todas as delegacias do DF funcionando 24 horas. E outra, sobre o a expansão do modelo de gestão do então Instituto Hospital de Base para todas as Unidades de Pronto Atendimento e para o Hospital de Santa Maria, que fará com que até o fim do mês de abril todas as UPAs estejam em funcionamento, trazendo um desafogamento dos hospitais públicos do DF.

E o ritmo de apreciação dos projetos está elevado, e a intenção é que continue assim. Aprovaram no mês de março vários projetos relacionados às mulheres e conseguiram aprovar a prorrogação do prazo para as pessoas darem entrada na regularização de áreas rurais. Esse novo momento trouxe uma mudança de pensamento, no sentido de uma cultura de redução de impostos. “Redução ITCB, do ITDI. Podemos aprovar a redução do IPVA, há um projeto da Difal para o setor atacadista, para que as micro e pequenas empresas tenham condições de concorrer com empresas de estados vizinhos. O governador tem feito uma agenda extensa para manter empresas no DF. Precisamos gerar empregos”, avalia.

Mudança do eleitor

A extensa renovação nos Governos e Assembleias Estaduais, dos quadros da Câmara Legislativa, na Câmara dos Deputados e no Senado Federal, segundo Prudente, está sendo observada de perto pelo eleitor, que promoveu essa mudança. Na avaliação dele, os eleitores estão atentos para ver se essa renovação valeu a pena. Nesse sentido, seu empenho está em cumprir o que tratou durante a eleição, de forma muito consciente, falando a verdade, do que pode ser feito, do que não pode ser feito. E se mantendo perto da sociedade. “As pessoas não querem ver seus candidatos de quatro em quatro anos”, dispara.

Questionado se ele integra o que chamam de “Nova Política”, prontamente ele responde: “Não sei avaliar o que é a velha e nova política. As pessoas querem é que seus problemas sejam resolvidos. Dizem que a velha política é essa questão de troca de cargos. Não trabalhei com cargos no governo passado. E como chefe de poder, temos que preservar a autonomia para que as prerrogativas funcionem”, discorre.

Um de seus próximos desafios na agenda legislativa é pela regularização de terras. “Brasília precisa ser legalizada. Temos mais da metade das terras irregulares. O governo está fazendo um grande esforço para que possa regularizar o mais rápido possível. É uma ação que traz mais arrecadação para o Estado e segurança jurídica para os moradores”, diz.

Além disso, o distrital pontua que a cidade possui uma área rural extremamente produtiva e que poucas pessoas conhecem. “Precisamos investir em infraestrutura”, acrescenta, pois o setor agropecuário do DF é um dos maiores arrecadadores, segundo ele. A questão de crédito também precisa ser vista, segundo ele, para que o Banco (BRB) possa servir melhor à cidade.

Para Prudente, é vital para a cidade trazer de volta a retomada das grandes obras. “Brasília tem um percentual de endividamento pequeno, o menor dos estados da Federação. Devemos aproveitar a presença do poder público aqui para trazer as grandes obras que não vemos há muitos anos: BRT Sudoeste; BRT Norte, a ampliação do metrô para Asa Norte, de Samambaia, de Ceilândia; VLT do Aeroporto, passando pela área central”, pontua. Ele relembra o período intenso de obras na cidade nos governos Roriz e Arruda: “Brasília precisa ver isso acontecer novamente”, destaca.

A mais bela

Apaixonado pelo local que escolheu para viver, os olhos de Rafael brilham quando fala da cidade: “Brasília é única e precisa ser preservada. O grande desafio é manter a Biblioteca Nacional, o Catetinho… um dos grandes desafios e mostrar que Brasília é a cidade mais bonita do mundo! Foi uma cidade planejada, é única”, avalia.

Prudente defende que as pessoas precisam conhecer a história da cidade, como por exemplo os mil dias com que a cidade foi construída. E não poupa elogios para o passado, o presente e o futuro da cidade: “Temos um dos melhores aeroportos do mundo, mas as pessoas apenas passam por aqui. Brasília não perde nada para Washington, São Paulo e Rio de Janeiro. Fora que todas as decisões que acontecem no país saem daqui, da capital da República. Sou um entusiasta, admirador da cidade”, revela.

Dentre os desafios, ele aponta para manter o crescimento de forma organizada e ter serviços públicos de qualidade para toda a população. “A cidade continua crescendo, 100 mil habitantes por ano. A cada cinco anos, temos duas Luziânias aqui dentro”, compara.

Um objetivo o guia: deixar a cidade melhor do que quando assumiu o mandato. E um dos pilares é o zelo com o dinheiro público: “Da mesma forma que tomamos conta do nosso dinheiro, temos que ter com dinheiro púbico”, diz. Aos eleitores, ele manda uma mensagem: “Estamos trabalhando para que as coisas deem certo, para que ao final a gente tenha um reconhecimento de que foi positivo”, finaliza.

 

 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.