• 28 de janeiro de 2022 14:17

61 Brasilia

Portal de Notícias de Brasília

VEM DF: Projeto implanta veículos elétricos nas frotas públicas da Capital.

By61brasilia

out 8, 2019

VEM DF: Projeto implanta veículos elétricos nas frotas públicas da Capital.

Num momento em que a ascensão da tecnologia tem facilitado ações que prezam pela resguardo do meio ambiente através de transformações dos modelos tradicionais, o Governo do Distrito Federal (GDF) adere ao projeto VEM DF (Veículo para Eletromobilidade). 

Por Gabriel Torres com supervisão

de Raquel Paternostro

Lançado nesta segunda-feira (7) em cerimônia no Palácio do Buriti, o VEM DF é um projeto experimental e pioneiro de compartilhamento de veículos elétricos para frotas públicas. Foi originado de uma iniciativa da Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI) e realizado junto ao Parque Tecnológico de Itaipu (PTI), responsável pelo desenvolvimento do software MoVe: que rastreia o automóvel, monitora a velocidade, a carga de bateria e as rotas percorridas.

“O objetivo da ABDI é divulgar soluções e promover o investimento em eletromobilidade, um dos alicerces estratégicos das cidades inteligentes”, afirma o presidente da ABDI, Igor Calvet. Ação integrante do projeto Cidades Inteligentes coordenado pela Agência, o VEM DF é a tecnologia mais madura testada e demonstrada no Living Lab de Cidades Inteligentes, um ambiente de testes e demonstrações que funciona em Foz do Iguaçu, no Paraná. O Living Lab resultou de um convênio feito entre ABDI e PTI, em 2018.

No mês de maio deste ano, um acordo de cooperação assinado entre a ABDI, o PTI e o GDF, por meio da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação (SECTI), permitiu que o VEM DF começasse por Brasília, como o primeiro projeto de compartilhamento de veículos elétricos (VE) voltado para o transporte de servidores públicos.

De acordo com Igor Calvet, “a primeira vantagem é em relação à diminuição dos gastos públicos. O GDF possui uma frota de 1.927 veículos próprios e 572 alugados, que resultam em gastos anuais de, aproximadamente, 16 milhões de reais, considerado combustível e manutenção. Como o projeto tem caráter piloto, os custos serão monitorados por veículo e em seu conjunto, comparando os dados ao gasto geral da frota que opera hoje no Distrito Federal, ” destaca.

Calvet ainda conta que é esperado que o projeto tenha resultados voltados à cadeia produtiva associada ao compartilhamento de veículos elétricos. “A partir da visibilidade do projeto, o mercado de veículo elétrico do Distrito Federal será incentivado, tanto para o consumidor final, quanto para frotas privadas e para projetos de compartilhamento de VE’s para a população”. Segundo Igor, o interesse da Agência é no desenvolvimento e fomento de todo o sistema industrial ao redor da eletromobilidade. “Os carros elétricos estão em um avanço contínuo e o que propomos via ABDI é desenvolver essa cadeia produtiva. Por exemplo, a bateria é um gargalo tecnológico e quando lançamos uma iniciativa como essa, incentivamos que empresas desenvolvam essa tecnologia”, conclui.

Em parceria com a marca de automóveis Renault, o projeto ofereceu 16 carros elétricos do modelo Twizy. Os quais seguirão um cronograma de entrega até o final deste ano.  A princípio, o GDF terá dois carros habilitados para fazer o transporte de servidores e com o passar do tempo os demais carros receberão a instalação do software que permite o uso compartilhado.

Para o presidente da Renault do Brasil, Ricardo Gondo, foi um grande privilégio participar do lançamento de um projeto como este “O VEM DF certamente será referência em eletromobilidade no Brasil.”

Para garantir o carregamento dos veículos, serão instalados por todo o DF 35 eletropostos (pontos de recarga) fabricados pela WEG. Eles serão gratuitos e poderão ser utilizados por qualquer carro elétrico. A proposta da iniciativa é popularizar o uso desse tipo de veículo.

“Os veículos elétricos são uma tendência mundial, e ter estações de recarga adequadas para todas as necessidades será indispensável nesse novo cenário”, destaca o diretor-superintendente da WEG Automação, Manfred Peter Johann.

Os veículos serão cedidos ao governo distrital em forma de comodato. O relevo predominantemente plano de Brasília tem vantagens para o uso de carros elétricos, pois reduz o consumo de bateria, deixa a temperatura favorável e possui a tensão de 220 volts, dispensando adaptações para a instalação dos eletropostos.

Inicialmente, o VEM DF terá uma rota restrita à Esplanada dos Ministérios e sedes dos órgãos da administração do DF. Os veículos elétricos têm autonomia de até 100 Km e atingem a velocidade de até 80 Km/h.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *