• 17 de agosto de 2022 16:26

61 Brasilia

Portal de Notícias de Brasília

Minha Cadeira

Terracap publica edital para gestão da Torre de TV Digital

61brasilia

By61brasilia

out 18, 2019
Advertisement

Terracap publica edital para gestão da Torre de TV Digital

A previsão é que o monumento seja administrado pela iniciativa privada por no mínimo 15 anos.

Por Gabriel Torres

com supervisão de Raquel Paternostro

e informações da Agência Brasília

As políticas público-privadas (PPP´s) vem ganhando destaque no mandato do atual Governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha. Após sinalizar o interesse em projetos de privatização da CEB e do Metrô-DF, a bola da vez é a Torre de TV Digital. Na última quarta-feira (16/10) a Terracap (Agência de Desenvolvimento do Distrito Federal) divulgou o edital 12/2019, o qual abre a concorrência pública para a gestão da Flor do Cerrado. O tempo de administração do ponto turístico por parte da iniciativa privada é de 15 anos.

Ao participar do processo, os interessados devem depositar R$ 113.700 mil (valor da caução) até o dia 14 de novembro e deverão entregar a proposta até o dia 18 de novembro. A quantia citada acima é o valor mínimo que deverá ser pago pelo vencedor no período de concessão do ponto turístico. Dessa maneira, o “empréstimo” proporcionará um lucro de, no mínimo, R$ 1,3 milhão anual ao governo, fora a economia com gastos de manutenção do local. No ano passado as despesas da Torre chegaram a cerca de R$ 5,2 milhão.

Na perspectiva de Gilberto Occhi, presidente da Terracap, no Governo Ibaneis o setor privado será sempre prioridade no desenvolvimento dos negócios no DF. Ele também defende o modelo e cita alguns benefícios: “A concessão pública e a parceria público-privada são formatos que privilegiam esse tipo de ação e proporcionam a geração de emprego, o desenvolvimento e a arrecadação de novos impostos”.

O que essa decisão afeta na visitação e uso cultural da Torre de TV Digital?

A palavra privatização, em casos assim, sempre gera polêmicas entre a população. Geralmente, as pessoas acham que após a desestatização o novo “proprietário” passa a fazer o que bem entender na gestão do patrimônio. Porém, no caso que estamos tratando, a concessão não irá se intrometer no acesso público do espaço. O que acontecerá é o inverso, uma das obrigações de quem assumir a área é triplicar os dias de visitação semanal (hoje, se limitam aos finais de semana e feriados) justamente para aumentar o fluxo turístico e reforçar o caráter social do último monumento idealizado por Oscar Niemayer.

Fora a visitação, o presidente da Terracap destacou que com a medida, vê o setor privado mais motivado para a realização de diversos tipos de eventos culturais. “O setor privado em Brasília está acostumado a promover eventos culturais, desde festas a exposições. A Torre Digital é um ambiente cultural, um patrimônio turístico e poderá ser devidamente explorado de forma mais rápida e eficiente pelo setor privado”.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.