• 17 de agosto de 2022 17:29

61 Brasilia

Portal de Notícias de Brasília

Seta Arquearia

Plano econômico do governo Bolsonaro prevê cancelamento de concursos públicos

61brasilia

By61brasilia

nov 7, 2019
Advertisement

Plano econômico do governo Bolsonaro prevê cancelamento de concursos públicos

Ação integra pacote de medidas apresentado ao Congresso que possui a meta de aliviar as contas públicas

Por: Gabriel Torres com supervisão de Raquel Paternostro

Má notícia para os concurseiros de plantão! Em tempos onde parte dos brasilienses fazem a opção por não fazer um ensino superior para se dedicar exclusivamente aos concursos públicos de nível médio, a medida do ministro da Economia, Paulo Guedes, juntamente ao presidente Jair Bolsonaro (PSL) diminui a tão desejada vaga, que na visão popular, carrega o sonho da estabilidade financeira – lê-se: passar num concurso público, financiar um apartamento em Águas Claras e comprar um ar condicionado. Cá entre nós, essa é a meta de vida da maioria desses jovens.

Brincadeiras à parte e voltando para a notícia, o conjunto de medidas apresentadas nesta terça-feira (05/11) limita a realização dos concursos, a nível federal, estadual e municipal, e ainda suspende reajustes. Tudo isso, visando desafogar as contas públicas, promessa de campanha do governo da situação nas eleições como forma de alavancar a economia. O Plano Mais Brasil – A Transformação do Estado tem como disposição o mecanismo imediato de emergência fiscal. Esse procedimento corta os concursos públicos em estados e municípios que ativarem a fórmula. Na última Pesquisa de Emprego e Desemprego (PED), feita pela Companhia de Planejamento do Distrito Federal (Codeplan), foi constatado que 21,4% da população é composta por servidores públicos.

Entenda as PEC´s

A PEC do Pacto Federativo institui que os governos em situação financeira delicada ficam proibidos de dar reajuste, criar cargos, reestruturar carreiras ou criar verbas indenizatórias. A PEC Emergencial trava a entrada de novos integrantes no funcionalismo público. As regras são parecidas às do Pacto Federativo e o prazo da suspensão é de até dois anos. Para que as determinações sejam efetivas, é necessário que passem pela votação no Congresso Nacional.

Essa proposta prevê ações como: a redução de 25% no salário e na jornada de servidores públicos. O funcionalismo segue alerta aos próximos movimentos do governo federal. Vale lembrar que a suspensão dos concursos ainda não faz parte da reforma administrativa a qual mudará as regras do serviço público.

Em que pé está o projeto

Segundo Bolsonaro, a reforma está praticamente pronta, como Guedes já tinha adiantado nesta terça (05/11). Segundo o ministro, o número de carreiras será de no máximo 30, hoje em dia são 117. Otimista, o braço direito do presidente afirmou que até o fim do ano a reforma pode ser aprovada.

O texto final, o qual visa transformar a mentalidade e a produtividade dos servidores será apresentado nos próximos dias. No mesmo dia 5, Ambos foram ao Congresso passar o documento, que contem três das seis propostas para controlar as contas públicas, para as mãos ao presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP).

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.