Our website is made possible by displaying online advertisements to our visitors. Please consider supporting us by whitelisting our website.
  • 25 de setembro de 2022 12:22

61 Brasilia

Portal de Notícias de Brasília

Bio Mundo

CTNBio aprova estudo do CNPEM com partículas geneticamente modificadas da Covid-19

61brasilia

By61brasilia

abr 8, 2020
Advertisement

CTNBio aprova estudo do CNPEM com partículas geneticamente modificadas da Covid-19

Trabalho consiste na produção de partículas similares ao vírus com o objetivo de identificar moléculas que possam inibir a infecção pelo novo coronavírus

A Comissão Técnica Nacional em Biossegurança (CTNBio/MCTIC) aprovou nesta terça-feira (31), em reunião extraordinária, estudos com componentes geneticamente modificados do novo coronavírus realizados pelo Laboratório Nacional de Biociências (LNBio/MCTIC) do Centro Nacional de pesquisa em Energia e Materiais (CNPEM), organização social do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC). Essa foi a primeira deliberação realizada por videoconferência pelo colegiado.

O trabalho desenvolvido no LNBio/MCTIC consiste na produção de partículas similares ao vírus mas sem carga infecciosa (virus-like particles) com o uso de três proteínas do Sars-Cov2. O estudo tem o objetivo de identificar novas e potenciais moléculas que possam inibir a infecção pelo coronavírus, o que pode contribuir no desenvolvimento de novos medicamentos para tratamento da doença.

A aprovação da CTNBio/MCTIC é necessária porque, de acordo com a Lei de Biossegurança, cabe à comissão, uma instância colegiada multidisciplinar componente do MCTIC, analisar os estudos com organismos geneticamente modificados (OGMs) no Brasil, sejam plantas, células humanas, animais ou micro-organismos. É o que explica a presidente da CTNBio/MCTIC, Maria Sueli Felipe:

“Para construir no laboratório essas partículas é necessário utilizar tecnologia do DNA recombinante e fazer a manipulação genética no caso em vetores bacterianos. Nesta condição, o LNBio/MCTIC tinha necessidade de submeter o projeto para análise de Biossegurança pela CTNBio/MCTIC, para avaliação de possíveis efeitos adversos a saúde humana, animal, vegetal e ao meio ambiente”, explica.

Ainda segundo a presidente da comissão, outras deliberações ligadas a Covid-19 estão na pauta das próximas reuniões, com datas a serem definidas.  A CTNBio, no âmbito do MCTIC, reúne cientistas e especialistas com atuação reconhecida em diversas áreas do conhecimento relacionados a Organismos Geneticamente Modificados (OGMs). Sua finalidade é estabelecer normas de segurança e mecanismos de fiscalização de atividades que envolvem OGMs, além de assessorar o governo federal na formulação e implementação da Política Nacional de Biossegurança.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.