Our website is made possible by displaying online advertisements to our visitors. Please consider supporting us by whitelisting our website.
  • 4 de dezembro de 2022 08:26

61 Brasilia

Portal de Notícias de Brasília

Advogada larga carreira para abrir sua própria Marca de Roupas online

Grasi Bueno

ByGrasi Bueno

fev 24, 2022
Advertisement

Gabriela Medeiros, 27 anos, tinha dificuldade de encontrar roupas do jeito que ela imaginava e decidiu abrir sua marca Use do avesso; desde os 14 anos sempre foi daquelas que corria atrás, na época da faculdade vendia bijus, trabalhava com eventos, pra complementar a renda que recebia do estágio, logo após sua formatura em 2018 e uma cirurgia estética que não saiu como ela desejava, ficando impossibilitada de trabalhar por um período, começou a pensar na possibilidade de vender roupas.

“Pensei, eu já amo escolher, criar looks, vou começar uma “lojinha” on-line – eu usava muito esse termo rs – vou vender as roupas pra me sustentar, fazer os eventos e estudar pra concurso. Na época eu comprei um curso e fui estudar”. 

Advogada por formação sempre foi apaixonada por moda, desde sempre mesmo, começou a vender as roupas em agosto de 2018, ela disse que na epóca não tinha a mínima noção de Instagram, o que postar, como fazer… Mas as coisas foram acontecendo, tomou muitos tombos, no inicio levava também a mala de roupas para algumas pessoas verem, assim começou, mas logo tornou-se um problema porque ninguém queria pagar no cartão e como queria vender e tinha medo da mercadoria ficar parada acabava aceitando. Com o passar do tempo percebeu que não era bem por ali que a coisa ia andar,  então começou a mudar as formas de comercializar seus produtos e sua postura nas redes sociais,  no final de 2020 não queria mais estudar, e decidiu focar realmente em fazer acontecer, paralelo a isso , despertou o desejo de produzir algumas camisetas, as basiquinhas, depois passou para produção do vestido alicia e assim foi se descobrindo nesse meio. 

 “Eu amava compor looks diferentes do que as pessoas usavam e também mandava fazer meus looks algumas vezes”. 

O planejamento da loja online começou em 2019, e a primeira coleção saiu no ano seguinte. decidiu ir a Goiânia pela primeira vez, sem nenhuma experiência sobre qual melhor tecido, apenas tinha ideia do que comprar para as basiquinhas e para o Vestido Alicia, mas para o restante, não tinha noção. Comprou uma remessa de tecido, mas já tinha em mente as peças que queria fazer então comprou os tecidos, sem muita noção de metragem, foi com coragem e meteu as caras.

“De certo modo parecia um dom algumas coisas, coisa de Deus mesmo, diz Gabi”,  O primeiro lançamento 100% autoral foi em outubro de 2020,  “coleção” cápsula, eram poucas peças, mas aquilo já fazia seu coração transbordar. 

“Eu fiz uma peça de cada modelo, que eu mesma desenvolvi, e levei para uma costureira reproduzir”, diz a empreendedora. A jovem montou uma loja usando as redes sociais, e começou a vender os produtos. 

O lançamento já foi um sucesso. “As pessoas receberam muito bem o meu negócio. Muitas mulheres se identificaram porque ainda é muito difícil encontrar roupas bonitas. Como eu tinha essa dificuldade, muitas outras também tinham”, afirma. Ela diz que o seu diferencial é o fato de não fazer roupas pensando em esconder o corpo, mas sim realçando a silhueta com peças justas e que mostram a barriga. “Eu vejo o que as mulheres usam e transformo. Nós podemos usar tudo.”

Além de vender as peças, a empreendedora tenta ser uma figura de inspiração para suas seguidoras e postar mensagens de autoestima. Gabriela também se tornou a modelo da própria marca e passou a vender suas roupas pelas redes sociais. 

“Nós podemos usar tudo”, diz a empreendedora

Com o crescimento do negócio, a empreendedora investiu máquinas pesado na produção própria . Além disso, no meio de 2021, ela abriu um site para atrair mais clientes.

“Minha mãe costurava nas horas vagas e fazia peças incríveis, mas infelizmente eu não tive quase convivência com ela, quando ela faleceu eu tinha 3 anos, quando eu me vi naquele meio, totalmente envolvida e encantada eu senti uma força e um amor que não sei explicar. Quando estou na produção é uma realização tão grande, amor mesmo”!

“Durante a pandemia foi onde eu vi a necessidade de buscar algo que falasse mais ao meu coração, porque foi um período muito desafiador, mas também de muito crescimento e eu vi que fabricar era o que eu realmente amava, que poderia trazer ainda mais diferencial, e realmente ter uma marca, você poder pensar, criar uma roupa primeiramente na sua imaginação, depois no seu coração, e então os demais processos, é simplesmente incrível” Diz. 

“Em agosto desse ano completam 4 anos, digamos que realmente somente depois de 1 ano e meio que eu vim me posicionar e entender qual caminho eu devia seguir”. conclui Gabi

Hoje 90% da loja é  fabricação própria, sempre buscado aprendizados e recursos para chegar aí nos 100%. 

Extremamente apaixonada pelo que faz,  quer cada dia mais vestir mulheres de dentro pra fora e ajudá-las a realçar sua verdadeira beleza ♥️

Grasi Bueno

Grasi Bueno

'Pense Grande' uma coluna sobre pequenos e médios empreendedores. Informações sobre a vida prática dos negócios, novidades, desafios e as melhores estratégias para crescer.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.