Our website is made possible by displaying online advertisements to our visitors. Please consider supporting us by whitelisting our website.
  • 28 de setembro de 2022 06:29

61 Brasilia

Portal de Notícias de Brasília

Grama Solara

Centro de triagem de Brasília é cenário para cenas de filme nacional

61brasilia

By61brasilia

abr 6, 2022
Advertisement

Centro de triagem de Brasília é cenário para cenas de filme nacional

SLU apoia gravação de cenas para o longa brasiliense “Ecoloucos – Uma Comédia Insustentável” que traz um debate importante sobre sustentabilidade

Em breve, Brasília estará nas telonas do cinema nacional. Dirigido pela premiada cineasta brasiliense Cibele Amaral, o longa-metragem “Ecoloucos – Uma Comédia Insustentável” é produzido na capital federal com a participação de diversos atores brasileiros consagrados e se propõe a mostrar, de forma divertida, a importância de práticas sustentáveis no dia-a-dia das pessoas.

Nesta terça-feira (5), o set de filmagens foi montado em uma das estruturas do Serviço de Limpeza Urbana (SLU): a Instalação de Recuperação de Resíduos (IRR), localizada na Usina do P Sul, em Ceilândia. No galpão de triagem cedido para a Cooperativa de Trabalho de Catadores de Materiais Recicláveis e Reutilizáveis Ambiental (Coopere), o elenco formado por Cristiana Oliveira, Maria Paula, Victor Leal, Robson Nunes, Fábio Rabin, entre outros, gravou diversas cenas. E os próprios catadores foram contratados como figurantes.

De acordo com a cineasta Cibele Amaral, alguns trechos serão gravados na Amazônia, mas a maior parte do filme será rodada em Brasília. “A gente acredita muito no potencial da cidade como um eixo, um polo produtor de audiovisual. No elenco tem muita gente daqui e alguns atores e atrizes que vieram de fora para compor o time”, afirmou Cibele sobre o filme, que conta com apoio financeiro do Fundo de Apoio à Cultura (FAC), do GDF.

“Acredito que, como é cinema nacional, vai causar maior impacto na população e, quem sabe, promover a conscientização para que façam a separação devida dos resíduos, que possam entender que se cada um fizer a sua parte em casa, vai gerar mais renda para nós, catadores” – Ana Cláudia, presidente da Coopere

A Coopere é uma das 23 cooperativas/associações que mantêm contrato com o SLU e realiza tanto a coleta seletiva quanto a triagem dos resíduos no galpão da IRR. Para a presidente da entidade, Ana Cláudia, o filme é uma oportunidade de colocar em evidência temas importantes como a reciclagem.

“Acredito que, como é cinema nacional, vai causar maior impacto na população e, quem sabe, promover a conscientização para que façam a separação devida dos resíduos, que possam entender que se cada um fizer a sua parte em casa, vai gerar mais renda para nós, catadores”, acredita.

Os atores Robson Nunes e Cristiana Oliveira acreditam que abordar um tema importante no formato de comédia pode ajudar a ampliar um debate fundamental para os dias atuais. “Eu acredito que com a comédia é possível alcançar um maior número de pessoas. É diferente de um documentário, que obviamente tem sua importância, mas a gente pega um público que gosta de outro gênero de filme para, ao mesmo tempo, se divertir e se informar”, defende Nunes.

“Eu acho importante a gente poder comunicar de forma acessível. Falando muito sério, muito tecnicamente, não se atinge todas as pessoas. Muitas precisam de exemplos e, talvez, um certo humor falando de um trabalho sério para poder contribuir”, avalia Cristiana Oliveira.

Atuando como apresentadora do reality show que conduz o roteiro do filme, a atriz brasiliense Maria Paula deixa seu recado: “Essa é a chance de estar no lugar que eu mais amo, falando do assunto que eu acho mais relevante no momento, que é sustentabilidade. Especialmente as pequenas coisas que as pessoas podem fazer em casa para mudar o jogo. Eu acho que se todo mundo em casa começar a preparar seu lixo, pegar o que tem de orgânico para compostagem, o que tem de seco para reciclagem, separar direitinho e fazer o descarte adequado, a gente vai dar uma virada importante na nossa sociedade”.

Sinopse do filme

O que aconteceria se fôssemos convidados a virar ativistas da sustentabilidade da noite para o dia e para tanto tivéssemos que readequar, de forma radical, toda a nossa rotina? É o que os personagens Erik, Karla e Fernando serão obrigados a fazer no filme Ecoloucos – Uma Comédia Insustentável.

Erik Doria, Karla Kristina e Fernando Kannolli têm em comum o cargo de executivos que ocupam na empresa EcoKare, uma empresa ecologicamente exemplar. Porém, seus maus hábitos de vida entram em choque com a política de sustentabilidade vendida pela empresa. São consumistas, sedentários, derrubam árvores, não reciclam nada, jogam lixo na natureza, gastam água demais e cometem todo tipo de crime contra o planeta.

Um belo dia, um vídeo que mostra esses maus hábitos vai parar na internet e causa um imenso transtorno para a imagem da empresa. Para recuperar o prestígio da Ecokare, os três são obrigados a participar do programa “Ecoloucos”, que é um reality show/gincana sustentável, onde terão que provar para o público que estão comprometidos com a causa verde.

*Com informações do SLU

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.