Our website is made possible by displaying online advertisements to our visitors. Please consider supporting us by whitelisting our website.
  • 4 de dezembro de 2022 09:28

61 Brasilia

Portal de Notícias de Brasília

Orquestra celebra 200 anos da Independência

61brasilia

By61brasilia

jun 6, 2022
Advertisement

Orquestra celebra 200 anos da Independência

A Orquestra Sinfônica do Teatro Nacional Claudio Santoro (OSTNCS) comemora o bicentenário da Independência do Brasil com dois concertos em junho, além de reeditar “Clássicos nas Cidades” e fazer uma apresentação celebrando laços de amizade entre Brasil e Colômbia dentro das ações para divulgar o prêmio dado a Brasília como Capital Ibero-americana das Culturas em 2022.

No dia 7 de junho, às 20h, no Auditório Eber Vasconcelos (906 Sul), o Concerto “Brasíl 200 anos” tem ingressos gratuitos distribuídos pela plataforma Sympla. com segundo lote de 300 ingressos colocados para retirada na tarde desta sexta-feira (3.6). O concerto também será transmitido pelo YouTube da OSTNCS,

A programação abre peças de D. Pedro I, alusivas ao Grito do Ipiranga, no Vale do Paraíba, entre Rio de Janeiro e São Paulo; Beethoven, com a peça “Imperador” (“Concerto nº 5”); João de Deus Castro Lobo, um dos maiores nomes da música erudita mineira da época; Marcos Portugal, professor de música do filho de D. João VI e Carlota Joaquina; além de duas obras de Malcolm Forrest, idealizador do projeto e violonista, com especialização em composição e orquestração. A regência será do maestro Cláudio Cohen.

Dom Pedro de Alcântara (1798-1834) tinha talento musical. Interessou-se por música desde a infância e aprendeu a tocar quase todos os instrumentos de orquestra, inclusive o pianoforte, precursor do instrumento musical moderno. A literatura registra que ele tinha boa voz e preferência pelo clarinete, atuando como solista. A crônica histórica também anota que D. Pedro I era provavelmente dotado de ouvido absoluto e exímio compositor. O Rei de Portugal, D. João VI, compunha pequenas peças e ensinou seu filho a tocar trombone.

Forest conta que o planejamento da comemoração começou em 2015 e teve de ser repensado com a pandemia da Covid 19. Do conjunto de eventos que percorreria as principais cidades do Vale do Paraíba, ideia inicial, o projeto se transformou num documentário, em finalização, contando a viagem de D. Pedro I — que teve como ponto alto o rompimento com Portugal — e uma série de concertos sinfônicos.

Os solos musicais no concerto de 200 anos de o Grito serão do pianista Álvaro Siviero. Paulistano, ele atua na Alemanha, Portugal, Itália, EUA, Áustria, França, Inglaterra, Suíça, Brasil, Argentina, Chile, Uruguai e Peru com várias orquestras.

O bicentenário da Independência também é o tema do concerto de 21 de junho na Universidade de Brasília (UnB), reunindo peças de Villa-Lobos com “Trenzinho do Caipira”; Dvórak com “Romance para Violino e Orquestra”; e Fritz Kreisler com “Tamborin Chinês” e “Schon Rosmarin”.

As músicas dos compositores estrangeiros terão solo da violinista sul-coreana radicada no Brasil Hyu-Kyung Jung. Em 2012, ela passou a integrar a Orquestra Filarmônica de Minas Gerais, tornando-se violinista principal assistente em 2017.

“É a primeira vez que me apresento com a Orquestra Sinfônica do Teatro Claudio Santoro. Estou honrada pelo convite e por tocar com uma instituição que tem uma história tão rica. Faremos um programa de romantismo e frescor, começando com o belo e melancólico ‘Romance’, do compositor tcheco Antonín Dvorák. Depois, vou executar duas pequenas pérolas do repertório violinístico, compostas pelo compositor austríaco Fritz Kreisler”, comenta Jung.

DO GAMA À COLÔMBIA

Equipamento da Secretaria de Cultura e Economia Criativa (Secec), a Orquestra vai ao Gama no dia 14/6, às 20h, para mais uma edição de “Clássicos nas Cidades”, no Teatro Sesc Paulo Gracindo, quando apresentará a “Sinfonia nº 1”, de Carl Nielsen, e os sucessos de público: clássicos do cinema, MPB e rock.

O mês terminará com o “Concerto Brasil-Colômbia”, dia 28.6, às 20h, no Cine Brasília, celebrando laços de amizade entre os dois países, com regência do colombiano Alejandro Roca. “Estou emocionado. É a primeira vez que dirijo uma orquestra no Brasil, onde já estive antes como pianista”, revela.

A primeira parte traz duas obras de compositores brasileiros. As “Bachianas nº 4”, de Villa-Lobos, que Roca considera “uma das obras mais importantes do repertório sinfônico, não apenas da América Latina, mas da história”. Peças de Ney Rosauro “Três episódios para Orquestra” serão executadas na sequência, ainda na parte dedicada ao Brasil. Ele considera as composições de Rosauro “maravilhosas” e revela que “está muito feliz de fazê-la”

Roca também anuncia que as duas obras colombianas são “muito especiais”. Explica que a peça de Jaime Leon aborda variações sinfônicas de Carmen, de Georges Bizet, pois Leon foi um grande compositor, diretor de orquestra e apreciador de óperas.

“É uma peça com linguagem cinematográfica, melódica e orquestrada”, ressalta. Apresenta também, dentro do trabalho de Adolfo Mejía, uma pequena suíte em três movimentos e “Acuarela”, com temas folclóricos.

“Estou feliz em divulgar o repertório colombiano e mostrar suas semelhanças com a música do Brasil”, explica.

 

PROGRAME-SE

7/6, às 20h.

Brasil 200 anos

Local: Auditório Eber Vasconcelos (906 Sul).

Peças: “Hino Nacional”, – Dom Pedro I – “Abertura”, L.V.Beethoven – “Concerto nº 5, Imperador”.

Solista: Álvaro Siviero.

Intervalo: Malcolm Forrest – “Mater et Magistra”, Castro Lobo – “Abertura”, Marcos Portugal – “Il Duca di Foix”, D.Pedro I – “Te Deum Laudamus” (coro e orquestra), Malcolm Forrest – “Terra de Santa Cruz” (coro e orquestra), “Libertas Brasil” – Fantasia (orquestra e coro), D.Pedro I – “Glória in Excelsis Deo” (coro e orquestra).

Ingressos gratuitosPlataforma Sympla

Mais informações: sucessomdk@gmail.com e (11) 98205-0942.

 

14/6, às 20h.

Clássicos nas Cidades

Local: Teatro Paulo Gracindo (Sesc Gama).

Peças: “Carl Nielsen – Sinfonia nº 1” e “Clássicos Cinema, MPB e Rock”

Ingressos gratuitos ordem de chegada e sujeito à lotação.

 

21/6, às 20h

Brasil 200 anos – UnB 60 Anos e Concerto Coreano

Local: Centro Cultural AdUnB

Peças: Villa-Lobos – “Trenzinho do Caipira”, Dvorak – “Romance para Violino e Orquestra”, Fritz Kreisler – “Tamborin Chinês” e Schon Rosmarin.

Solista – Hyu-Kyung Jung, José Maurício – AberturaYae-Eun Christina Seo (soprano).

Intervalo: Rossini- Una Voce Poco Da, (in F) (‘Ópera de Sevilha’), “I Could Have Danced All Night, (“My Fair Lady”), “Italian Streetsong, (in D) (Naughty Marieta), “Aria do “The Legend of Princess Sriratna”, “Gyungbog Pallace Ballade – Amazing Grace”, Ary Barroso – “Aquarela do Brasil”.

Ingressos gratuitos ordem de chegada e sujeito à lotação.

 

28/6, às 20h.

Concerto Colômbia – Brasil.

Local: Cine Brasília.

Peças: Villa-Lobos – “Bachianas nº 4”, Ney Rosauro – “3 Episódios para Orquestra”, Jaime Leon – “Variações de Bizet”, Adolfo Mejia – “Suite”

e “Acuarela”

Maestro: Alejandro Roca.

Ingressos gratuitos ordem de chegada e sujeito à lotação.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.