Our website is made possible by displaying online advertisements to our visitors. Please consider supporting us by whitelisting our website.
  • 4 de dezembro de 2022 01:39

61 Brasilia

Portal de Notícias de Brasília

VARIZES E VASINHOS: CONHEÇA OS DIFERENTES TIPOS E COMO TRATÁ-LOS

61brasilia

By61brasilia

out 5, 2022
Advertisement

VARIZES E VASINHOS: CONHEÇA OS DIFERENTES TIPOS E COMO TRATÁ-LOS

A associação de técnicas é uma das formas mais efetivas do tratamento de cada caso, sempre com uma avaliação prévia de cada paciente

Você já deve ter ouvido falar de pessoas que fizeram tratamento de varizes e vasinhos. Mas você sabia que existem diferentes tipos e para cada um deles é recomendado um tratamento diferente? Basicamente, as varizes são classificadas em quatro tipos e para indicar o melhor tratamento é preciso antes identificar o tipo de cada uma delas.

Dra. Tatiana Losada

A cirurgiã vascular e angiologista, Dra. Tatiana Losada, explica quais são eles:

Telangiectasias ou vasinhos: são vasos bem pequenos que estão localizados na pele. De coloração avermelhada ou arroxeada, são veias bem finas, superficiais e visíveis na pele.

Reticulares ou microvarizes: de coloração azulada ou esverdeada, estão localizados logo abaixo da pele, mas são menores que as varizes. Possuem tamanho de 1-3mm.

Varizes: são veias mais calibrosas, alongadas e, às vezes, tortuosas, que ficam localizadas entre a gordura e o músculo e possuem mais que 3mm de diâmetro.

As varizes surgem pela própria doença venosa, no entanto a forma de surgimento de cada tipo vai depender da pessoa, relacionado à genética, ganho de peso, gestação, entre outros fatores. “O tratamento é definido de acordo com o tamanho, localização do vaso, cor do vaso, tipo de pele, cor da pele, mas normalmente para os vasinhos menores, aquelas telangiectasias, tendemos a fazer aplicação e laser. Para os vasos maiores, espuma e laser. Porém, tudo isso vai depender realmente de todos esses parâmetros e o tipo de doença que o paciente tem e só conseguimos dizer qual será o tratamento adequado avaliando antes o paciente”, explica a cirurgiã.

Ela ainda afirma que normalmente é realizada uma associação de técnicas e não apenas uma para cada caso. A forma de prevenção será a mesma para todos: uma dieta adequada, prática de atividade física, acompanhamento vascular. Caso o paciente tenha algum histórico familiar, a recomendação é começar desde cedo a fazer o acompanhamento e, ao surgimento de pequenas lesões, o ideal é procurar o cirurgião vascular.

O alerta também fica para os casos de trombose. “A doença venosa, que são as varizes, quando está em estágios avançados, pode levar à trombose, mudança de coloração da pele da perna, inchaço e principalmente dor”, conta Dra. Tatiana. A doença venosa leva a uma dificuldade de retorno venoso, e essa dificuldade de retorno do sangue pode levar à trombose.

Para cuidar desses problemas, os tratamentos nos dias de hoje são os mais modernos, com uma associação de técnicas para evitar um procedimento cirúrgico e, principalmente, para o paciente também ter um resultado estético mais duradouro, há realmente um tratamento da doença.

As técnicas que faço em consultório, como laser, aplicação, espuma, não precisam de repouso, o paciente faz e vai embora para casa. Antigamente existia apenas aplicação e cirurgia. Hoje temos diversos tipos de tratamento que posso fazer baseado no tipo de lesão que o paciente tem. O tratamento cirúrgico também é mais simples nos dias de hoje, já que o paciente opera de manhã e vai embora no final do dia. E mesmo os casos que precisam de um repouso maior, na verdade é relativo. O paciente não fica o tempo todo de repouso com a perna para cima, até estimulamos que o paciente ande para uma melhor recuperação”, conclui a especialista.

Cirurgiã vascular Tatiana Losada | @dratatianalosada

Médica Especialista em Cirurgia Vascular e Angiologia

Especialista em tratamentos modernos de varizes e vasinhos

Formada pela Universidade de Uberaba – MG

Cirurgiã Geral pela Secretária de Saúde do Distrito Federal

Cirurgiã Vascular pela Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto – FAMERP

Membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Vascular e Angiologia

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.