17.5 C
Brasília
quarta-feira, julho 24, 2024
Início Site

Escola de Breaking lança aulas para crianças no Centro de Dança de Brasília

0

Projeto da Drop Education oferecerá oficinas para crianças de 06 a 12 anos, durante quatro meses. As inscrições estão abertas e as aulas iniciam em agosto.

Estão abertas as inscrições para as aulas do Projeto KURUMIM – Oficina de Breaking para Crianças. A iniciativa é realizada pela Drop Education, a primeira escola híbrida desse estilo de dança urbana do Brasil. As atividades acontecem no Centro de Dança de Brasília, no Plano Piloto, e são voltadas para crianças de 06 a 12 anos. As aulas iniciam no dia 1º de agosto e vão até 07 de dezembro, sempre às terças e quintas-feiras.

As inscrições devem ser feitas online, através de formulário disponível nas redes sociais do projeto – @dropeducation. A mensalidade custa R$ 170, com possibilidade de bolsas integrais para crianças negras e indígenas. Ao longo de quatro meses, serão oferecidas aulas em três turmas com horários distintos, sempre às 9h, 14h e 15h.

Com uma proposta divertida e participativa, as aulas do  Projeto KURUMIM destacam não apenas a expressão artística do Breaking, mas também sua conexão com elementos afro-diaspóricos e com as raízes culturais afro-brasileiras. Em um ambiente acolhedor e afetuoso, são incorporados jogos e brincadeiras tradicionais do Brasil ao ensino do Breaking, além de atividades que cativam a atenção das crianças de forma lúdica e educativa.

O nome Kurumim transmite alegria e diversão e também carrega um profundo senso de carinho e cuidado para proporcionar uma experiência única e acolhedora às crianças. Além disso, a Drop Education adota uma abordagem holística da educação, incorporando os princípios e ensinamentos dos povos indígenas do Brasil, onde não apenas mães, pais e tutores, mas toda a comunidade têm um papel crucial no processo de transmissão de conhecimentos, valores e cuidados às crianças.

QUEM FACILITA

Fabiana “FaBGirl” Balduína
Renomada especialista em dança Breaking, com 23 anos de carreira. Possui um histórico notável de conquistas e uma vasta expertise em ensino, treinamento e avaliação/julgamento relacionados ao Breaking e outras danças urbanas afro-diaspóricas. Foi a primeira brasileira a representar o Brasil no Mundial Battle of The Year/We Bgirlz – Alemanha, em 2008 e 2010. Invicta por 18 anos em competições no Brasil, Fabiana se tornou, em 2022, a primeira B-girl da América do Sul a ser jurada na Red Bull BC One World Final, em Nova Iorque. É fundadora do Brasil Style Bgirls (2003), o primeiro grupo de Breaking formado exclusivamente por mulheres em Brasília, e idealizadora/produtora da Batom Battle (2011), o maior festival de Breaking com foco em gênero no Brasil. Em 2020, fundou a Drop Education.

Hélio “B-Boy Foguete” Cassemiro
Coordenador geral da Drop Education desde 2022. É presença marcante no cenário do Bboying em Brasília. Com mais de duas décadas de dedicação como dançarino e instrutor, se destaca não apenas por suas habilidades excepcionais no Breaking, mas também por sua significativa contribuição à cultura do Hip Hop. Atuou como professor de Street Dance na Universidade de Brasília e em diversos projetos sociais, sendo uma peça vital do grupo Floor Riders, há mais de uma década. Especializado em Power Move e B-boy, Foguete contribui para o crescimento e preservação do Breaking através de estudo e pesquisa. Entre seus títulos notáveis, estão o Campeonato Brasiliense de Break (1999 e 2000) e o título nacional em 2001.

Drop Education, uma escola híbrida de Breaking
Fundada em 2020, a Drop Education é uma escola híbrida especializada no ensino da dança Breaking, dedicada à preservação, promoção e transmissão da tradição, cultura e história dessa arte. Suas práticas pedagógicas, educativas e técnicas destacam as contribuições afro-diaspóricas e afro-brasileiras no desenvolvimento do Breaking. A Drop é a primeira escola híbrida de dança Breaking do Brasil e realiza sua missão através da combinação de plataformas virtuais e presenciais, com a colaboração de Bgirls e Bboys de todo o país e referências advindas da matriz nos EUA.

SERVIÇO

Projeto KURUMIM – Oficinas de Breaking com Crianças

Onde: Centro de Dança de Brasília

Período de aulas: de 1º de agosto a 07 de dezembro

Quando: terças e quintas, de 9h às 10h30 (iniciante), 14h às 15h (2º ciclo), 15h às 16h (iniciante)

Mensalidade: R$ 170

Classificação: de 06 a 12 anos

Inscrições – até o fim de julho: https://linktr.ee/dropeducation
Solicitação de bolsas: https://forms.gle/gapmY2HJr97xVXs38

Redes sociais: https://www.instagram.com/dropeducation/

Últimos dias de inscrições para o curso de Mediação Cultural 

0

Qualificação gratuita de arte-educadores colabora para o fortalecimento da economia criativa no Distrito Federal. Inscrições até sexta-feira

Até 26 de julho estão abertas as inscrições para a segunda turma do ano do curso de Mediação Cultural de nível básico. Com 30 vagas, a qualificação gratuita oferece capacitação para inserção no mercado de mediação cultural para jovens estudantes ou recém-formados nas áreas de arte e museologia. As inscrições são realizadas pelo link https://www.mediato.art.br/curso-mediacao. Para ficar por dentro e saber mais novidades, acompanhe no Instagram: @mediato.art.

Com carga horária de 27 horas, o curso será realizado na Escola Superior do Ministério Público da União (ESMPU) e acontece de 12 a 30 de agosto, às segundas, quartas e sextas-feiras, das 9h às 12h. A mediação cultural é uma ferramenta de difusão da arte e dos bens culturais que sensibiliza e aproxima o visitante, promovendo experiências significativas. O curso aborda conceitos e experiências de mediação, metodologias teatrais, contação de histórias, educação patrimonial, jogos educativos, acessibilidade cultural e a realização de um projeto final prático. Além das turmas, o projeto também prevê uma palestra gratuita que será realizada na Universidade de Brasília (UnB).

A iniciativa é realizada com recursos do Fundo de Apoio à Cultura (FAC) da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Distrito Federal. E conta com a parceria da Universidade de Brasília, com o projeto de extensão Da Ideia à Ação.

Qualificação

De 2019 a 2023 a Mediato realizou três edições do curso de mediação, formando cerca de 90 novos mediadores. Para este ano, a expectativa é formar entre 60 e 90 jovens. O público-alvo é jovens entre 19 e 30 anos, residentes no Distrito Federal e Entorno, estudantes de graduação ou recém-formados em Museologia, Artes Cênicas, Artes Visuais, Teoria Crítica e História da Arte (TCHA) ou áreas correlatas.

Grade do curso:

– Módulo 1 (Conceito e exemplos de mediação) – Professora Letícia Cunha: 3h – dia 12/08

– Módulo 2 (Jogos educativos para mediação) – Professora Isabela Formiga: 3h – dia 14/08

– Módulo 3 (Contação de histórias como metodologia de mediação) – Professor André Rosa: 3h – dia 16/08

– Módulo 4 (Metodologias teatrais para mediação) – Professora Letícia Cunha: 3h – dia 19/08

– Módulo 5 (Educação Patrimonial) – Professora Isabela Formiga: 3h – dia 21/08

– Módulo 6 (Acessibilidade Cultural) – Professor André Rosa: 3h – dia 23/08

– Módulo 7 (Projeto final prático) – Professora Letícia Cunha: 9h – dias 26, 28 e 30/08

– Oficina de acessibilidade com Renata Rezende 1h30 – dia 26/08

Sobre a Mediato

Mediato é uma iniciativa que atua como um ecossistema cultural, dedicada a aproximar a arte da vida das pessoas. Desde 2010, está comprometida em colaborar para a formação de novos públicos para a arte, para a difusão da produção artística e a valorização dos bens culturais. Ao longo dos anos, tem desenvolvido programas educativos para Artes Visuais, Artes Cênicas e Educação Patrimonial, alcançando mais de 70 mil estudantes no Distrito Federal. Além do inovador trabalho de mediação desenvolvido para o teatro, a iniciativa também colabora com o cenário da economia criativa local, com o Curso de Mediação Cultural que desde 2019 insere novos mediadores no mercado de trabalho. A Mediato está comprometida em cultivar uma comunidade crítica e sensível, com senso de pertencimento, valorização e também apreciação da cultura local.

Curso de Mediação Cultural

Inscrições: Até 26 de julho

Período: De 12 a 30 de agosto, às segundas, quartas e sextas-feiras, das 9h às 12h

Link para inscrições: https://www.mediato.art.br/curso-mediacao

Acesso: Gratuito

Local: Escola Superior do Ministério Público da União – ESMPU (SGAS II St. de Grandes Áreas Sul 603 – Asa Sul)

Mediato

mediato.art.br

E-mail: conecta@mediato.art.br

Informações: (61) 99885-9528

Instagram: @mediato.art

Volta às aulas: visitas mediadas promovem a conexão entre estudantes e a arte

0

A plataforma Conecta oferece agendamento e transporte gratuito para escolas visitarem eventos culturais

 Atenção, professores! A volta às aulas se aproxima e a plataforma Conecta possui uma programação especial de eventos culturais disponível para agendamentos neste segundo semestre. Com o objetivo de aliar cultura e educação, as visitas mediadas promovem a conexão entre alunos e a arte, além de resultar em novos recursos para o trabalho em sala de aula. Com exposições, experiências com a cidade, programas educativos, espetáculos teatrais, de dança e de música, os agendamentos são gratuitos e devem ser realizados em conecta.mediato.art.br. O projeto Conecta DF é realizado pela Mediato com apoio da Neoenergia Brasília e do Instituto Neoenergia por meio da Lei de Incentivo à Cultura (LIC).

 Os agendamentos contemplam estudantes da Educação Infantil, do Ensino Fundamental e/ou do Ensino Médio. Há, também, a possibilidade de transporte sem custo para instituições escolares públicas. Cada evento terá critérios específicos sobre este benefício. Antes das visitas, os professores recebem um material educativo para deixar a visita ainda mais completa. A iniciativa também possibilita visitas com interpretação em libras para grupos de pessoas surdas.

Como funciona

A Conecta é a ponte que une o público aos locais de eventos culturais. Para escolas, é a facilidade para encontrar e escolher atividades adequadas aos seus alunos. E, ainda, a possibilidade de ter transporte gratuito para chegar ao equipamento cultural. Para os produtores culturais, é uma forma de otimizar a divulgação dos eventos, organizar o agendamento de grupos e ampliar o público de seu evento.

Ao acessar a plataforma, os interessados encontram uma vasta programação de diversos espaços culturais do Distrito Federal. É possível localizar atividades disponíveis a partir de categorias, como: música, artes visuais, teatro, entre outros. Instituições de ensino e produtores culturais podem se cadastrar na plataforma neste link, manifestando seus interesses em oferecer programação cultural ou buscar atividades para complementar o ensino educacional.

Como agendar sua escola

1. Faça login na plataforma https://conecta.mediato.art.br/ como “Profissional da Educação”;

2. Escolha o evento, a data e o horário desejado.

3. Preencha as informações da escola, a quantidade de alunos e segmento: educação Infantil, ensino fundamental ou ensino médio 

Confira o calendário do segundo semestre:

Exposição

MAB Educativo

Data: Até 30 de agosto

Agendamento: https://conecta.mediato.art.br/evento/mab-educativo 

Espaço Cultural Renato Russo Educativo

Data: Até 30 de agosto

Agendamento:https://conecta.mediato.art.br/evento/espa%C3%A7o-cultural-renato-russo-educativo

Teatro

Vinicius – estreia em temporada especial no Espaço Semente (Gama)

Data: 05 de agosto

Agendamento: https://conecta.mediato.art.br/evento/vinicius-

As Sirigaitas – Contam e Encantam Espaço Cultural Renato Russo

Data: 16 de agosto

Agendamento: https://conecta.mediato.art.br/evento/as-sirigaitas—contam-e-encantam 

Música

Concertos Didáticos – Festival Sinfônico V na Concha Acústica de Brasilia

Data: de 16 a 23 de agosto

Agendamento: https://conecta.mediato.art.br/evento/concertos-did%C3%A1ticos—festival-sinf%C3%B4nico-v

Dança

Escondida à Plena Vista no Espaço Pé Direito – Vila Telebrasília

Data: 14 e 15 de agosto

Agendamento: https://conecta.mediato.art.br/evento/escondida-%C3%A0-plena-vista-1

Espetáculo Ritmo e Regeneração no Teatro Newton Rossi – SESC Taguatinga

Data: 21 de agosto

Agendamento: https://conecta.mediato.art.br/evento/espet%C3%A1culo-ritmo-e-regenera%C3%A7%C3%A3o

Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) 

A atuação da plataforma está alinhada aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Agenda 2030 da Organização das Nações Unidas (ONU), são eles: 

●      ODS 4 – Educação de Qualidade;  

●      ODS 8 – Trabalho Decente e Crescimento Econômico;

●      ODS 10 – Redução de desigualdades;

●      ODS 11 – Cidades e Comunidades Sustentáveis;

●      ODS 17 – Parcerias e meios de implementação.

Sobre a Mediato

Mediato é uma iniciativa que atua como um ecossistema cultural, dedicada a  aproximar a arte da vida das pessoas. Desde 2010, está comprometida em colaborar para a formação de novos públicos para a arte, para a difusão da produção artística e a valorização dos bens culturais. Ao longo dos anos, tem desenvolvido programas educativos para Artes Visuais, Artes Cênicas e Educação Patrimonial, alcançando mais de 70 mil estudantes no Distrito Federal. Além do inovador trabalho de mediação desenvolvido para o teatro, a iniciativa também colabora com o cenário da economia criativa local, com o Curso de Mediação Cultural que desde 2019 insere novos mediadores no mercado de trabalho. A Mediato está comprometida em cultivar uma comunidade crítica e sensível, com senso de pertencimento, valorização e também apreciação da cultura local.

Sobre o Instituto Neoenergia

Braço de atuação social da Neoenergia, o Instituto promove iniciativas com o objetivo de estimular a transformação das pessoas e do planeta, por meio de ações e projetos distribuídos em cinco pilares: Formação e Pesquisa, Biodiversidade e Mudanças Climáticas, Arte e Cultura, Ação Social e Colaboração Institucional. A partir de parcerias com a sociedade civil, organizações do terceiro setor e poder público, o Instituto Neoenergia encara o desafio de buscar soluções às questões ambientais, sociais e econômicas do Brasil, contribuindo para o alcance dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), aliados às práticas ESG da empresa e à Agenda 2030 da Organização das Nações Unidas (ONU).

Conecta 

conecta.mediato.art.br

E-mail: conecta@mediato.art.br

Informações: (61) 99885-9528

Instagram: @mediato.art

Site:www.mediato.art.br

Faces do Piano Brasileiro estreia dia 5 de agosto

0

O projeto com os pianistas Pablo Marquine e Diogo Monzo homenageia Claudio Santoro, Antônio César Guerra-Peixe, Luiz Eça e Hermeto Pascoal

Os pianistas Pablo Marquine e Diogo Monzo estreiam o projeto “Faces do Piano Brasileiro” dia 5 de agosto, na Escola MiFaSol-Lá (503 Sul). As sessões de concerto e recital-palestra também acontecem na Escola Classe Comunidade de Aprendizagem do Paranoá (Q. 3), no Teatro de Sobradinho (Área Especial 12), na Casa Thomas Jefferson (706 Sul) e no Centro de Ensino de Deficientes Visuais (612 Sul) até o final de agosto. Toda programação tem entrada franca e classificação indicativa livre.

Concebido como resultado das pesquisas de mestrado conduzidas por Pablo e Diogo, “Faces do Piano Brasileiro” propõe demonstrar que as chamadas fronteiras expressas na música popular e erudita brasileira existem “apenas em uma questão de conceituação”. Por isso, a escolha de obras de Claudio Santoro, Antônio César Guerra-Peixe, Luiz Eça e Hermeto Pascoal.

Pablo explica que as apresentações acontecem em formato de concerto duplo de piano solo, em que ele interpreta obras de Claudio Santoro e Guerra-Peixe e, Diogo, temas de Luiz Eça e Hermeto Pascoal. “Além dos concertos, o projeto possui recitais-palestras. Ali, é o momento de explorar a relação histórica e estética das obras dos homenageados, criando espaços de apreciação musical e formação de plateia com o intuito de divulgar a música brasileira”, detalha o pianista.

Acessibilidade

A programação também conta com sessões no Centro de Ensino Especial de Deficientes Visuais (CEEDV), na 612 Sul. O local foi escolhido pensando em democratizar o acesso à música brasileira de concerto.

“Não será a minha primeira apresentação no CEEDV. As interações positivas e enriquecedoras com os alunos levaram a repetir a experiência. Nesta edição, teremos uma experiência completa e acessível, incluindo a presença de um mediador linguístico português-LIBRAS, audiodescrição em um dos concertos, vídeos legendados e informações detalhadas de acessibilidade nas divulgações. Essa abordagem reflete o compromisso do projeto em enriquecer e valorizar a diversidade cultural”, completa o pianista.

Este projeto é realizado com recursos da Lei Paulo Gustavo do Governo Federal, operacionalizado pelo Governo do Distrito Federal – DF, por meio da Secretaria de Cultura e Economia Criativa (GDF).

Sobre os pianistas

Pablo Marquine é Doutor em Musicologia pela University of Florida e pianista solista e concertista, reconhecido internacionalmente. Recentemente, Pablo gravou a completa para piano solo de Claudio Santoro e lançou o álbum “Canções de Amor” de Claudio e Vinicius de Moraes, com a cantora Sheila Negro.

Diogo Monzo é doutor em Música pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro. Em maio de 2016, estreou nos EUA, em Nova York, no Tribeca Performing Arts Center ao lado de grandes nomes do jazz como Rufus Reid, Tommy Campbell, Philip Harper e Bobby Sanabria.

Serviço:

Dia 05 de agosto, segunda-feira, na Escola MiFaSol-Lá (503 Sul, Bl. C, Lj. 49/50).

  • Recital-Palestra: às 19h
  • Concerto: às 20h

Dia 07 de agosto, quarta-feira, na Escola Classe Comunidade de Aprendizagem do Paranoá (Q. 3, Cj. A, Lt. 8/10).

  • Oficina de música para crianças: às 10h e às 11h
  • Recital-Palestra: às 14h
  • Concerto: às 16h

Dia 08 de agosto, quinta-feira, no Teatro de Sobradinho (Área Especial 12).

  • Concertos didáticos: às 9h30 e às 11h
  • Recital-Palestra: às 14h30
  • Concerto: às 19h

Dia 19 de agosto, segunda-feira, na Casa Thomas Jefferson (706 Sul).

  • Recital-Palestra: às 15h
  • Concerto: às 18h

Dia 20 de agosto, terça-feira, no Centro de Ensino de Deficientes Visuais (612 Sul).

  • Recital-Palestra: às 11h
  • Concerto: às 14h

Toda programação é gratuita.

Classificação indicativa livre.

Informações: facesdopianobrasileiro@gmail.com

Redes sociais: @facesdopianobrasileiro

 

Desenvolvimento integral produto da solidariedade ambiental

0

O drama das enchentes no Rio Grande do Sul e que, de algum modo, também se reproduz no Pantanal pode vir a ser uma constante.

É o fenômeno da sociedade de risco que há de ser enfrentada à luz de perspectiva bem definida: a dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), conjunto de 17 metas globais da Organização das Nações Unidas (ONU) no contexto do que é o direito ao desenvolvimento.

Desde 1986, momento em que a ONU proclamou a Declaração sobre o Direito ao Desenvolvimento, a ideia-chave a ser assimilada e compreendida consiste em pôr limites ao mero desenvolvimento econômico.

É um dilema conhecido. Que tipo de desenvolvimento a sociedade pretende? O documento da ONU afirma que o desenvolvimento não pode ser só econômico, o desenvolvimento deve ser integral, abrangendo a sociedade no seu todo. Só assim o progresso beneficiará toda a comunidade. Não haverá verdadeiro desenvolvimento sem que essa chave de dinamização seja acionada.

A problemática do meio ambiente, desde o oportuno alerta de 1972, já exigiria o incremento do mote da sustentabilidade.

O nosso futuro comum, nome e identidade do histórico documento, impunha a condição indispensável: que o liame entre o econômico e o social ordene a vida e as condições de trabalho, a fim de que a qualidade de vida em ambiente saudável possa ser garantida de modo perene.

Ora não é outra a noção de desenvolvimento sustentável: é o que atende às necessidades do presente, sem comprometer a possibilidade de que as gerações futuras atendam às suas próprias necessidades.

De que, afinal, está se falando? Simplesmente de que a conta que estamos deixando o futuro não conseguirá pagar.

Há poucos anos, o Papa Francisco lançou, na encíclica Laudato Si, a trágica constatação: “O ambiente humano e o ambiente natural degradam-se em conjunto; e não podemos enfrentar adequadamente a degradação ambiental, se não prestarmos atenção às causas que têm a ver com a degradação humana e social” (nº 48).

A tragédia ocorrida no Rio Grande do Sul nos mostra o que poderá acontecer doravante se não prestarmos atenção. É um alerta que a natureza nos faz.

Os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável, que consubstanciam a Agenda 2030, devem ser levados mais a sério.

Tais objetivos encontram como fundamento distintas manifestações ocorridas em 1972, já referida, e em 1987. Do mesmo modo, o Brasil sediou a ECO-92, na qual também se insiste que o desenvolvimento socioeconômico deve marchar conjuntamente com a defesa do meio ambiente.

Tudo conflui com o ideário proposto por São Paulo VI: o desenvolvimento para ser autêntico deve ser integral e promover a figura humana como um todo, posto que todos os homens são chamados ao pleno desenvolvimento.

Agora vamos destacar o item 7 da ODS, são 17 itens: Qualidade de vida e respeito ao meio ambiente.
A degradação constatada no Rio Grande do Sul decorre de causas naturais, mas também de deficiências notórias de governança.

Muitos problemas de governança levaram a essa crise. Então, temos que compreender a responsabilidade humana, a responsabilidade histórica e a responsabilidade social. Três vetores de responsabilidade que explicam, mas não justificam, que a crise ora instalada poderia ter sido evitada mediante cuidados elementares de defesa do meio ambiente.

Eis o objetivo 7: garantir a sustentabilidade ambiental. O desenvolvimento sustentável é o único apto a garantir que desastres como esse não se tornem uma constante.

Portanto, são necessárias passadas de gigante para que o propósito do objetivo de sustentabilidade ambiental seja atingido até 2030.

Três metas estão associadas ao objetivo 7: A primeira é a água, a qualidade da conservação e recuperação dos mananciais, essencial para um desenvolvimento sustentável e saudável, capaz de garantir à geração presente e à geração futura qualidade de vida e vida saudável. Do mesmo modo, matas e florestas, enfim, esse imenso potencial ambiental que o Brasil possui e que é tão desleixado, tão deixado de lado, não pode mais admitir a ausência de verdadeiras políticas de estado para que delas se cuide com eficiência.

Os extremos de frio e de calor que são sentidos por toda parte registram a prova cabal do aquecimento global. Como ainda se pode negar isso?

A solidariedade registrada nesse episódio, que merece todos os louvores, exige prosseguimento com a solidariedade na cobrança de providências claras, objetivas e imediatas de defesa do meio ambiente, do desenvolvimento integral e do nosso futuro comum.

Por: Wagner Balera

 Coordenador do Núcleo de Estudos de Doutrina Social, Faculdade de Direito da PUC-SP. É Professor Titular de Direitos Humanos da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC/SP). Coordenador do Núcleo de Direitos Humanos da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC/SP).  Autor de mais de 20 livros de Direitos Humanos. Membro da Revista Brasileira de Direitos Humanos. Membro da Academia Paulista de Direito. Membro da Academia Paulista de Letras Jurídicas. Membro da Academia Nacional de Seguros e Previdência. Membro da Academia Brasileira de Direi to da Seguridade Social. Membro da Academia Brasileira de Direito Tributário. Advogado.
É Livre-Docente em Direito Previdenciário pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC/SP). Doutorado em Direito das Relações Sociais pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC/SP). Mestrado em Direito Tributário pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC/SP). Graduado em Direito pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC/SP). Presidente do IPCOM (Instituto de Previdência Complementar e Saúde Suplementar). Professor e Coordenador dos cursos de graduação e pós-graduaçao (mestrado e doutorado) de Direito previdenciário da PUC-S`P.
Autor de mais de 30 livros em Direito Previdenciário.

Harmonização de Glúteos: O Segredo para um Bumbum Perfeito Neste Inverno

0

Muito agachamento, alimentação rica em proteínas e… ácido hialurônico? A fórmula para ter o bumbum perfeito foi atualizada e agora inclui tratamentos clínicos. O procedimento de harmonização de glúteos tem ganhado destaque, com influencers e celebridades postando abertamente suas visitas a clínicas dermatológicas de alto nível para aprimorar ainda mais seus esforços na academia. Mas o que exatamente é a harmonização de glúteos? Quais são seus benefícios e desvantagens? E é o procedimento certo para você? Vamos descobrir.

O Que É a Harmonização de Glúteos

A harmonização de glúteos não é um milagre que transformará seu bumbum da noite para o dia. Ao invés disso, é um tratamento complementar que pode refinar e melhorar os resultados obtidos com exercícios e alimentação. O procedimento consiste basicamente em três frentes: aplicação de ácido hialurônico para aumentar o volume, bioestimuladores de colágeno para firmar a pele e aminoácidos para ajudar a endurecer o músculo.

Benefícios da Harmonização de Glúteos

1. Bioestimuladores de Colágeno para Firmar a Pele:

– “O glúteo não está livre da ação do tempo e do estilo de vida. Por isso, o cuidado com a pele dos glúteos se tornou indispensável na rotina das pessoas”, destaca a Dra. Kelly Pico. Com o tempo, a perda de colágeno é inevitável, mesmo com uma rotina fitness em dia. Os bioestimuladores de colágeno, aplicados na pele, aumentam a produção de fibras de colágeno, melhorando a firmeza e suporte da pele, o que deixa o bumbum mais levantado e arredondado.

2. Ácido Hialurônico para Dar Volume:

– Assim como em outras partes do corpo, o ácido hialurônico pode ser usado para preencher áreas dos glúteos, ajudando a atingir o formato desejado, seja ele em forma de pêra, redondo, maçã ou quadrado.

3. Aminoácidos e Tecnologias para Endurecer o Músculo:

– A aplicação de aminoácidos auxilia no aumento da musculatura, complementando o trabalho feito na academia. Além disso, tecnologias como o ultrassom micro e macrofocado podem forçar contrações musculares, proporcionando um efeito semelhante ao de exercícios intensos.

Desvantagens da Harmonização de Glúteos

Embora um bumbum mais definido, firme e arredondado seja o maior benefício, a harmonização de glúteos também tem suas desvantagens. A principal desvantagem é que os resultados não são permanentes. O preenchimento com ácido hialurônico se dissolve em até um ano, enquanto os efeitos dos bioestimuladores de colágeno e do endurecimento muscular, apesar de duradouros, exigem manutenção constante com exercícios e cuidados com a pele.

Perigos da Harmonização de Glúteos

As injeções nas nádegas nunca estão completamente isentas de riscos. Grandes vasos sanguíneos estão localizados profundamente nos glúteos, e se forem danificados ou se algo for injetado incorretamente, as substâncias podem viajar rapidamente para o coração e os pulmões, resultando em complicações graves, até mesmo fatais. Por isso, é crucial que essas injeções sejam realizadas apenas por profissionais qualificados, experientes e certificados.

Cuidados ao Escolher o Profissional

A Dra. Kelly Pico ressalta a importância de verificar a qualificação do profissional e a procedência dos produtos utilizados. Produtos comuns e confiáveis incluem Restylane ou Juvederm para ácido hialurônico e Sculptra ou Radiesse para bioestimuladores de colágeno. Sempre peça para ver o frasco selado e a data de validade do produto. Desconfie de tratamentos baratos, pois produtos falsificados podem levar a casos graves como necrose do tecido.

Conclusão

A harmonização de glúteos pode ser um excelente complemento aos esforços na academia e alimentação saudável, proporcionando um bumbum mais firme e arredondado. No entanto, é crucial escolher profissionais qualificados e estar ciente das desvantagens e riscos envolvidos. Com os cuidados adequados, é possível alcançar resultados satisfatórios e seguros, finaliza Dra Kelly Pico.

Se você está pensando em melhorar a aparência e autoestima, o inverno é a estação perfeita para começar. Agende uma consulta e descubra o melhor tratamento para você!