21.5 C
Brasília
quarta-feira, maio 22, 2024

Flacidez pós-emagrecimento: quais procedimentos estéticos podem ajudar

Date:

Share post:

Flacidez pós-emagrecimento: quais procedimentos estéticos podem ajudar

Muitas pessoas querem eliminar os quilos a mais e se comprometem com a atividade física regular e a dieta equilibrada. Até aí tudo certo. Mas depois de conseguir o ‘shape’ ideal vem a flacidez. Mas por que isso acontece?

Segundo o Dr. Francisco Tribulato, cirurgião plástico e membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP), com o emagrecimento ocorre uma diminuição do tamanho das células de gordura, e a pele se mantém como antes. “A pele não retrai frente ao emagrecimento. Então, quando diminuímos o conteúdo, ocorre a flacidez de pele”, explicou o médico.

Em alguns casos, algumas pessoas começam a fazer dietas um pouco mais restritivas, mas segundo o especialista, essa não é a melhor opção pois pode afetar a qualidade da pele, dos cabelos e provocar alterações no sono.

“É importante uma dieta equilibrada para mantermos o organismo em bom funcionamento. Nada muito radical é benéfico. A restrição calórica de forma abrupta pode deixar o metabolismo mais lento, dificultando a perda de peso a médio e longo prazo. Além disso, a restrição alimentar pode trazer consigo queda dos cabelos, ressecamento de pele, fragilidade das unhas, dores de cabeça, dificuldade para dormir, alterações menstruais, dentre outras situações. Por isso, a reeducação alimentar acompanhada por especialistas ainda é a melhor opção para conseguir beleza e saúde”, completou.

Sol e flacidez da pele

Se você é daqueles que passa protetor solar só no rosto e somente durante o verão, aqui vai um alerta: o protetor solar é item obrigatório diário para quem quer ter uma pele bonita e saudável, além da proteção contra o câncer de pele.

Toda a pele do corpo que fica exposta ao sol – principalmente braços, pescoço e face – precisa de proteção. O excesso de sol, inclusive, pode potencializar a flacidez da pele.

“O sol produz os raios ultravioletas UVA e UVB, que penetram na pele, têm efeito cumulativo e provocam alterações no DNA das células, provocando a diminuição do colágeno (proteína que dá sustentação à pele) e maior predisposição às doenças da pele, até mesmo câncer de pele”, comentou Francisco.

Tecnologias para tratar a flacidez da pele

Existem alguns produtos e tecnologias que visam ao estímulo de colágeno e, consequentemente, ao tratamento da flacidez. Produtos injetáveis como policaprolactona, ácido polilático e hidroxiapatita de cálcio, segundo o médico, são boas opções, além de tecnologias não-invasivas como o ultrassom microfocado, a radiofrequência e alguns tipos de laser.

Um destaque em relação ao ultrassom microfocado é a tecnologia Liftera, que promove efeito lifting na face e no pescoço, queima de gordura e grande estímulo de colágeno, além das ponteiras macrofocadas para tratamento de flacidez e gordura corporal.

“O Liftera é considerado uma tecnologia inovadora para tratamento da flacidez porque além da ponteira linear, que nos permite tratar áreas maiores, conta com a exclusiva ‘Caneta’, aplicador que permite o tratamento de áreas mais delicadas e com maior precisão, permitindo personalizar o tratamento de acordo com o objetivo”, destaca o Dr. Francisco.

O especialista ressaltou, ainda, que o ideal é o tratamento de todas as camadas, desde a profundidade.

“Em relação à face, por exemplo, temos uma estrutura que recobre os músculos faciais, chamada de SMAS, que com o ultrassom microfocado promovemos uma retração dessa estrutura, promovendo um lifting de dentro para fora. Temos também preenchedores de ácido hialurônico e caprolactona, assim como os bioestimuladores de colágeno que auxiliam na reestruturação da face”, explicou o médico.

Outra orientação são os fios de sustentação, que permitem um reposicionamento dos tecidos mais superficiais, e tecnologias como laser e radiofrequência que promovem melhora da qualidade de pele.

E os exercícios físicos?

A atividade física é, sem dúvida, uma grande aliada para quem quer controlar o peso, promover fortalecimento muscular, reduzir os riscos de desenvolver doenças crônicas (como diabetes, hipertensão e doenças cardiovasculares), além de aumentar a sensação de bem-estar.

Atividades físicas que cursam com hipertrofia muscular, como a musculação, auxiliam no combate à flacidez. A musculação tonifica e enrijece os tecidos, inclusive a pele.

“Mas muito cuidado com atividades aeróbicas em excesso ou atividade de impacto como a corrida, por exemplo, que tendem a aumentar a queima de gordura e aumentar a flacidez da pele”, finalizou o especialista.

Serviço : Dr.Francisco Tribulato

 Cirurgião Plástico e Membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP).

CRM 134160/SP | RQE 101410


DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

publicidade

Related articles

Anna Tréa faz turnê pelo Brasil, depois de temporada na Europa

Foi durante uma viagem para acompanhar a turnê de Arringo Barnabé, que Anna Tréa se apaixonou por Barcelona. Anos depois,...

Conheça três hábitos de limpeza que parecem eficientes, mas não são

Muita espuma não é sinal de limpeza e sabão em pó é prejudicial para pisos Existem muitos mitos sobre...

Capital receberá o primeiro Festival da Cachaça de Brasília

O evento será realizado de 22 a 26 de maio, no completo do Mané Mercado. Além da degustação...

Impactos positivos de shows e festivais para bares e restaurantes

Integração com público colabora com o aumento do faturamento, além de atrair visibilidade para as redes O mercado de...