18.5 C
Brasília
terça-feira, maio 21, 2024

Imóveis de programa habitacional no DF estão fechados por falta de vistoria

Date:

Share post:

Imóveis de programa habitacional no DF estão fechados por falta de vistoria

 No Riacho Fundo 2, condomínios entregues em 2017 estão vazios. Construtora diz que espera Agefis

Moradores contemplados pelo programa social Morar Bem no Riacho Fundo II, no Distrito Federal, reclamam do atraso na emissão da carta de Habite-se. Os prédios na região estão prontos, mas os compradores alegam que não podem se mudar porque o governo do DF ainda não regularizou a documentação dos imóveis.

Um dos condomínios em situação irregular é o 17, na QN 30. O residencial tem 14 blocos, com 282 apartamentos no total. A coordenadora pedagógica Naandi Nascimento afirma que a construção terminou em novembro de 2017, um mês antes do prazo previsto.

Mato cresce em condomínios sem Habite-se na 4ª Etapa do Riacho Fundo II (Foto: Ana Luiza de Carvalho/G1)
Mato cresce em condomínios sem Habite-se na 4ª Etapa do Riacho Fundo II (Foto: Ana Luiza de Carvalho/G1)

A costrutora, porém, entregou aos compradores apenas as chaves dos banheiros e dos quartos, pois ninguém poderá se mudar para os imóveis. Por isso, o banco continua descontando a taxa dos juros de obra – isso porque, oficialmente, os apartementamentos não estão concluídos.

“Está todo mundo pagando aluguel, querendo se mudar, mas ninguém consegue. Muitas pessoas deixaram de matricular os filhos na escola perto porque não tinham como comprovar endereço”, relata a coordenadora pedagógica.

Naandi afirma ainda que os apartamentos já constam como entregues na pesquisa por CPF no site da Companhia de Desenvolvimento Habitacional (Codhab). “A Agefis diz que está indo nos condomínios e vai liberar tudo de uma vez. As pessoas ligam lá e falam que na última semana de fevereiro vai sair, depois só em março, talvez em abril, nunca chega o dia.”

A construtora JC Gontijo, responsável pela obra, informou ao G1 que seis condomínios estão nessa situação. A empresa alega ter resolvido as pendências encontradas na vistoria realizada entre 24 e 31 de janeiro e diz que aguarda desde 5 de fevereiro as revistorias da Agefis.

Relação de condomínios do Morar Bem sem Habite-se no Riacho Fundo II (Foto: JC Gontijo/Divulgação)

Uma proprietária do Condomínio 23, que não quis se identificar, afirmou que o diálogo com o GDF está difícil. “A Agefis disse que, se não tivesse nenhuma documentação faltando, entregaria de todos os prédios de uma vez ainda em fevereiro. Mas, até agora, nada”.

G1 entrou em contato com a Agefis em 27 de fevereiro e desde então aguarda uma resposta a respeito da liberação dos imóveis, mas o órgão não respondeu até a última atualização desta reportagem.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

publicidade

Related articles

“Tem Samba na Feira” leva música e cultura à Feira Permanente do Gama

O sambista Sandrinho, do grupo Amor Maior, abre a programação gratuita Que tal curtir um domingo de música boa...

Brasília sedia 1ª encontro de arte, educação e natureza na primeira infância

Entre os dias 4 a 9 de junho, acontece o "1º Encontro Cunhatã Cerratense Arte, Educação e Natureza...

“Fim: O Último Espetáculo”

"Fim" é um monólogo intenso que nos leva ao turbilhão mental e emocional de um protagonista que está...

Sugar Daddies super exclusivos? Saiba mais

O aplicativo de namoro MySugarDaddy revela que no Brasil, existem mais de 140.000 Sugar Daddies Sugar Babies. A...