Previous
Next

Orquestra Sinfônica do Teatro Nacional Claudio Santoro lança oficialmente canal no YouTube.

Orquestra Sinfônica do Teatro Nacional Claudio Santoro lança oficialmente canal no YouTube

Apresentações semanais na plataforma virtual relembram grandes concertos e vídeos dos músicos

A Orquestra Sinfônica do Teatro Nacional Claudio Santoro (OSTNCS) lançou oficialmente, na ultima terça-feira (04.08), o seu canal oficial no YouTube. Troca o auditório lotado das apresentações semanais no Cine Brasília, antes da pandemia da Covid-19, que levou ao fechamento de espaços culturais, por mais de um milhão de acessos de seguidores nas redes sociais. “Com isso manteremos o público conectado ao nosso trabalho, dando-lhe a oportunidade de ver concertos que foram realizados nas nossas temporadas anteriores”, explica o regente Cláudio Cohen.

“A ideia é mostrar que, mesmo em tempos de isolamento social, a orquestra se mantém presente junto ao seu público”.

A cada semana, sempre às terças-feiras, às 20h, horário em que a Sinfônica se apresentava no Cine Brasília antes da pandemia do coronavírus, um vídeo com edição contratada pela Secretaria de Cultura e Economia Criativa (Secec) subirá no Youtube.

“Abrimos nesta terça com a 9ª Sinfonia de Beethoven para dar sequência a nossa homenagem aos 250 anos, em 2020, de nascimento do compositor alemão.

Depois faremos uma homenagem a Villa-Lobos, exibindo o concerto dos 40 anos da OSTNCS, feito no ano passado. As duas últimas semanas do mês serão dedicadas a George Gershwin”, informa o maestro. Músicos A viola de Mariana Costa Gomes faz parte do corpo sinfônico desde 2018.

Mariana Costa Gomes e azulejos

Entre os mais jovens integrantes da OSTNCS, ela comenta a iniciativa do canal. “O YouTube e as mídias sociais estão sendo plataformas muito úteis, nesse momento, para manter o engajamento com o público, e a arte tem cumprido o importante papel de compartilhar vida e unir as pessoas, ainda que virtualmente”. Ela diz que “gravar remotamente tem sido uma experiência interessante. Tenho aprendido sobre posicionamento do celular, testando diferentes ângulos do ponto de vista acústico. A gente tem a chance de escolher a nossa melhor versão na gravação”.

Ela sente, contudo, “não poder interagir simultaneamente com os meus colegas. Quando estamos em contato com os músicos e com a plateia, a nossa experiência musical e humana é bem mais rica, há uma energia que é muito especial”.

O contrabaixista Wilton Mesquita Júnior, perfilado entre os fundadores da orquestra, nascida em 1979, concorda com Mariana sobre a “aura” das apresentações presenciais: “existe uma coisa no momento em que a orquestra começa, uma concentração total que te faz esquecer do mundo. Algo se acende dentro do palco, numa energia que nos une ao maestro e ao público”.

Wilton deixou a graduação em biologia na UnB pelo instrumento que já praticava desde os 13 anos de idade. “Estava no segundo ano na faculdade, quando fui convidado a fazer parte da orquestra. Pensei na hora, ‘adeus, biologia’”, conta o músico. Sobre se ver e à orquestra nas redes, o veterano afirma que “a gente tem de se adaptar, né, não tem jeito.

Wilton Mesquita

O sentimento musical que a gente tenta transmitir é o mesmo, e o público vai sentir isso, tenho certeza”.

Desde o início da pandemia, a OSTNCS postou cinco vídeos – “Heal The World”, “Volare”, “Brasília: 60 anos”, “Concerto de Aranjuez” e “No meu Coração” (tema Tarzan), além de dezenas de peças dos músicos em formações menores – individuais, duos, trios, quartetos e outros. Todo esse material vai desaguar no novo canal também.

 

Público A OSNTCS arrasta um público fiel.

A artista plástica e designer Stephanie Carla Lociks de Paula, 27, acompanha a sinfônica desde os cinco anos de idade. “Fui em praticamente todos os concertos. Mais tarde, fiz registros em desenhos durante cada uma das apresentações. São 200 ilustrações”, relata ela. Esse material foi exposto em 2019 no foyer do Cine Brasília, com o sugestivo nome de “Sinestesia” – termo da psicologia que fala de sentidos distintos que se evocam. “A experiência presencial é incomparável, não só pelo som, mas pela visão de toda a orquestra. Todos aqueles instrumentos distintos, produzindo um belo som. Saber que todos aqueles músicos, ali, regidos por um maestro conseguem emocionar você e mais vários outros.

Stephanie Carla Lociks

A rica vivência de olhar para o lado e ver todas as pessoas, em silêncio, imersas na música é de tirar o fôlego, mas acho a presença virtual importantíssima, ainda mais nos tempos de hoje. A experiência virtual me faz sentir presente e próxima da orquestra, mesmo com todo distanciamento.

Tenho acompanhado todos eles, visto e escutado cada um dos vídeos”, relata a paranaense radicada em Brasília. O coronel da Força Aérea Brasileira Jorge Luiz Vescia Lunkes, 77 anos, advogado e professor de História, conta que acompanha a orquestra desde sua fundação. “Cheguei a jantar com o maestro Claudio Santoro algumas vezes. Fui apresentado a ele por um amigo meu, violoncelista da Orquestra do Teatro Municipal do Rio de Janeiro, que vinha tocar a convite dele”. A paralisação dos concertos presenciais não mudou o hábito dele de seguir a orquestra.

 

 

 

 

 

 

“Tenho acompanhado as apresentações virtuais. Não é a mesma coisa que a presencial, mas tanto o maestro como os músicos demonstram muita competência. Esta é uma das três melhores orquestras do Brasil pela qualidade dos naipes”, avalia com ares de especialista. “As apresentações virtuais servem para amenizar as saudades das apresentações presenciais, mas sinto falta do contato humano com os músicos”, revela.

Serviço

Canal da OSTNCS no YouTube

https://www.youtube.com/c/OrquestraSinf%C3%B4nicadoTeatroNacionalCSantoro

Programa

Terça-feira, 04/08, às 20:00hs

L. V. Beethoven, “Sinfonia nº 9 em ré menor, Op.125”.

Maestro Claudio Cohen Solistas

Soprano Massami Ganev Mezzo

soprano Luisa Francesconi

Tenor Paulo Mandarino Barítono Johnny França OSTNCS – Coro Sinfonico de Goiânia – Coral Ad Infinitum Auditório Master Centro de Convenções Ulisses Guimarães (2018)

Dias 11, 12 e 13/08 às 20:00hs,

homenagem ao compositor Villa-Lobos, exibindo o concerto dos 40 anos da OSTNCS feito em 2019. “Uirapuru”, “Bachianas Brasileiras nº 4” e choros, em 3 vídeos independentes.

Dia 18/08, terça-feira, 20hs

Homenagem a George Gershwin, gravada em 02/07/2019 “Rhapsody in Blue” Solista – Solungga Liu – Piano

Dia 20/08, quinta-feira, 20:00hs

George Gershwin, “Abertura Cubana”

Dia 25/08, terça-feira, 20:00hs

George Gershwin, “Porgy and Bess Suíte”

Dia 27/08, quinta-feira, 20:00hs

George Gershwin “Um Americano em Paris” ATENÇÃO: créditos das fotos. Raoni Arraes (foto da Mariana), Arquivo OSTNCS (foto da orquestra), Dimitri Lociks (foto da Stephanie) e Carla Mesquita (foto de Wilton Mesquita)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Categorias

Liste todas as categorias

Notícias Relacionadas