9.5 C
Brasília
quinta-feira, julho 25, 2024

Greve dos professores do DF: “Quem está na ilegalidade é o governador Ibaneis Rocha”, diz sindicato

Date:

Share post:

O Sindicato dos Professores do Distrito Federal (Sinpro-DF) reagiu contra a decisão da Justiça em considerar ilegal a greve dos trabalhadores da educação.

“Mais uma vez, o GDF age com truculência contra a categoria”, diz nota do Sinpro.

Na manhã deste domingo (7), o desembargador Roberto Freitas Filho emitiu decisão que acata ação do Governo do Distrito Federal, declarando ilegal a greve de professores e orientadores educacionais do DF.

Sem negociação

O desembargador se apoiou na alegação do GDF de que as negociações não estariam concluídas, ignorando o fato de que o Sinpro protocolou sete ofícios solicitando audiência só em 2023, mas não foi recebido pelo governador – o que mostra que não havia negociação em curso.

Para o Sindicato dos Professores, é o governador Ibaneis Rocha quem está ilegalidade já que não cumpre a Lei do Piso Nacional do Magistério, nem a meta 17 do Plano Distrital de Educação.

Sem reajuste há 8 anos

“O tratamento truculento que o governador Ibaneis dispensa à nossa categoria não é inédito. Enfrentamos 8 anos de congelamento salarial e a degradação crescente das nossas condições de trabalho, mesmo assim, esta é a primeira vez em 4 anos e meio de governo Ibaneis que a categoria recorre à greve como ferramenta para fazer com que o governador ouça as nossas reivindicações”, a nota do Sinpro-DF.

A categoria reclama ainda da multa de R$ 3 milhões, referente à última greve de professores, em 2017, multa essa ainda não consolidada, pois está pendente de julgamento.

Greve continua

O comando de greve reafirma que quem define o fim do movimento não é o Poder Executivo nem o Poder Judiciário, mas sim, a assembleia geral dos trabalhadores marcada para a próxima quinta-feira, 11 de maio, às 9h30. Enquanto isso, os professores continuam com as mobilizações, piquetes, panfletagem e outras atividades.

CPI das ONGs

Ao perceber que as CPIs do 8 de janeiro e a do Movimento Sem-Terra começam a naufragar, a oposição ao governo Lula pressiona o presidente do Senado e os líderes partidários a indicarem os membros da CPI das ONGs.

O requerimento para a formação da comissão parlamentar de inquérito foi lido pelo presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), há mais de um mês. E, somente na semana passada os partidos começaram a indicar os parlamentares que farão parte da comissão.

A oposição vê na investigação sobre a atuação das organizações não governamentais na Amazônia uma oportunidade para desgastar o Palácio do Planalto. Principalmente, os senadores bolsonaristas argumentam que é preciso mostrar a atuação das organizações não governamentais que vêm doutrinando os povos indígenas e ainda realizam contrabando da biotecnologia.

Senador Plínio Valério (PSDB-AM) é o autor do pedido de CPI das ONGs. Foto: Waldemir Barreto/Agência Senado

Indígenas e biotecnologia

Para o autor do pedido de CPI das ONGs, senador Plínio Valério (PSDB-AM), quem não deve não teme.

“As boas ONGs, que prestam serviços fundamentais à sociedade serão protegidas. As que exploram indígenas e são alvo de denúncias, vão prestar contas”, declarou.

Na avaliação dos governistas, a CPI quer reforçar um o velho discurso, desde a ditatura militar, de que as ONGs na Amazônia são agentes de outros países interessados nas riquezas da região.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

publicidade

Related articles

Saboreia a Viagem à Úmbria

Um Jantar Temático de Enogastronomia da Região Úmbria no Restaurante Bottega Mia.Prepare-se para uma noite de sabores inesquecíveis! A...

Escola de Breaking lança aulas para crianças no Centro de Dança de Brasília

Projeto da Drop Education oferecerá oficinas para crianças de 06 a 12 anos, durante quatro meses. As inscrições...

Últimos dias de inscrições para o curso de Mediação Cultural 

Qualificação gratuita de arte-educadores colabora para o fortalecimento da economia criativa no Distrito Federal. Inscrições até sexta-feira Até 26...

Volta às aulas: visitas mediadas promovem a conexão entre estudantes e a arte

A plataforma Conecta oferece agendamento e transporte gratuito para escolas visitarem eventos culturais  Atenção, professores! A volta às aulas...